terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Sobre a sororidade...

Na minha vida tive inúmeras “anjas” que vieram em todos os formatos e perfis. Amiga de infância para dividir todos os momentos, brincadeiras e sonhos distantes. Amiga de colégio que manda o recadinho para o garoto cujo nome preenche todas as páginas do seu caderno. Amiga de faculdade que cura porre, faz companhia na balada quando você leva um bolo, mesmo que ela esteja louca para ficar com aquele carinha que ela está paquerando há meses e logo hoje resolveu dar mole. Colega de trabalho que vira amiga e madrinha de casamento. A chefe que me ajudou a desenvolver áreas que eu nem sabia que existiam e a brigar pelo meu espaço em um mundo tão competitivo. Tenho amiga doce e meiga que me mostra que não preciso ser forte o tempo todo para ser independente. As experientes que compartilharam suas labutas para que eu não precise – a não ser que queira – passar pelas mesmas para aprender. Amiga que dá colo, amiga que dá espaço e amiga que embarca na sua loucura quando sua ansiedade está quase te consumindo.  Amigas mais novas que querem aprender com você e te admiram e te motivam a dar sempre o seu melhor mesmo sem saberem. Amiga de balada! Amiga de filminho e brigadeiro. Amiga-irmã e aquela que faz teeeeempooo que você não vê mas que seu coração enche de lágrimas quando vê no facebook que a filha dela nasceu.

Sempre me incomodei com discursos e piadinhas sobre "as dificuldades" e a "competição" presentes nas amizades femininas, pois além de achar um clichê (e quem me acompanha por aqui sabe a aversão que tenho a “padrões” e “caixinhas”), do fundo do coração não poderia haver algo mais mentiroso do que isso.

Homens gabam-se de suas amizades livre de competição e de colocar os amigos sempre antes do que “mulher”. Maior balela da história. Eu mesma já presenciei vários casos de “fura-olho” representantes do sexo masculino e ninguém mais competitivo do que homens seja lá em qual esfera. Muitos poderiam dizer ser biológico, outros afirmariam ser algo socialmente construído ou antropológico, fato é que a energia masculina (em homens ou em mulheres) é muito mais competitiva do que a energia feminina.

Amizades femininas tem carinho, cumplicidade, conversas infinitas, gargalhadas e olhares telepáticos! Lagrimas e maquiagem, roupa emprestada e música brega... Amizade feminina tem um quê de maternidade... é sororidade!

Amiga que é amiga, compra a briga com o namorado que te trata mal e mesmo que você o perdoe ela continua com um pé atrás! Não tem essa de “não se meter” porque o amor de amiga é maior do que o medo de falar algo “inapropriado”.

E ontem, após muitos meses matutando sobre esse elo e sobre essa energia realizei o sonho de criar um grupo de mulheres focadas em entender e se aprofundar no universo feminino e em construírem uma rede de sororidade (como eu amo essa palavra!!!)

O GLF - Grupo de leitura sobre estudos femininos e feministas, nasceu de parto natural com uma missão audaciosa: refletir e debater o feminismo sob uma perspectiva livre de preconceitos e de verdades absolutas e permeada de respeito de modo a contribuir para a transformação individual de mulheres, organizações e comunidades em células mais humanas, sustentáveis, harmoniosas através da melhora da situação da mulher no ambiente familiar, profissional e social.

A energia que se criou, o laço fácil entre as mulheres tão diferentes mas com problemas e dilemas similares foram mágicos e a maior prova de que a competição é pura intriga da oposição!

Hoje a felicidade me preenche e a esperança genuína de que nós mulheres temos nas mãos a possibilidade de fazer do mundo um lugar melhor invadiu meu coração!

Obrigada a todas as mulheres que estão comigo na realização deste sonho, seja torcendo, seja me amando, seja participando! Sou melhor por ter vocês em minha vida, sabendo que posso mostrar o meu pior também e vocês me entenderão e acolherão!

E fica o convite a todas as mulheres do Brasil e do Mundo que quiserem participar do GLF no Facebook




2 comentários:

  1. Caroline Buddemeyer3 de fevereiro de 2015 14:08

    Sororidade. Nunca tinha ouvido essa palavra, e de repente, ela fez tanto sentido. Obrigada por mais uma vez, me ensinar algo.

    Beijos e muiiiito sucesso no seu grupo!

    ResponderExcluir
  2. Ensinando e aprendendo nessa amizade que ilustra muito bem o termo! Obrigadaaaaaa

    ResponderExcluir